Raquel Dodge prorroga mais uma vez Operação Lava Jato

Em campanha para ser reconduzida ao cargo, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, decidiu prorrogar por mais um ano os trabalhos da força-tarefa da Lava Jato no Paraná. Esta é a quinta vez que as atividades do grupo são prorrogadas, desde a sua criação, em 2014.

A prorrogação ocorre um dia antes da próxima reunião do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), cuja extensa pauta - de 146 itens - prevê a análise nesta terça-feira (13) de dois processos envolvendo a atuação do coordenador da força-tarefa da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol. A expectativa de integrantes do CNMP, no entanto, é a de que a discussão desses casos seja adiada. Os itens podem ser retirados de pauta no início da sessão, pela manhã.

Um dos casos que estão previstos oficialmente na pauta é um recurso de Deltan contra a decisão de instaurar um processo administrativo disciplinar. O episódio diz respeito às declarações de Deltan à rádio CBN, em que ele sugeriu que o Supremo passa a imagem de leniência a favor da corrupção.

Em abril, o órgão abriu um processo disciplinar para apurar a conduta de Deltan. O processo foi aberto a partir de uma reclamação disciplinar instaurada a pedido do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

O outro, movido pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), se refere a críticas disparadas por Deltan ao longo da campanha eleitoral do ano passado.

Mais Notícias