Venceslauenses enfrentam fila para eleger novos membros do Conselho Tutelar

Este domingo (06) de outubro foi marcado pelas eleições para eleger os novos membros do Conselho Tutelar em todas as cidades do país. Em Presidente Venceslau 17 candidatos disputaram o voto dos venceslauenses para assumir o cargo de conselheiro para o mandato 2020/2022.

O processo conta com 10 vagas, sendo cinco para efetivos e cinco para suplente, com salário de R$ 1996 – referente a dois salários mínimos em vigência.

De acordo com a comissão que organiza a eleição em Presidente Venceslau, por volta das 15 horas deste domingo mais de mil eleitores já haviam comparecido as urnas instaladas no colégio Álvaro Coelho para votação.

A apuração começou por volta das 17 horas e o resultado deve ser divulgado ainda neste domingo.

O Conselheiro Tutelar eleito deverá exercer suas funções de atendimento na sede das 7h30 às 17h, de segunda a sexta feira, cumprindo carga horária de 30 horas semanais, conforme a Lei 3.312/2014 e os plantões à distância, conforme regimento interno do Conselho Tutelar.

Além disso, o profissional deverá ter disponibilidade para trabalhar aos finais de semana e feriados, bem como em períodos noturnos; conforme a necessidade. É necessária, inclusive, a exclusividade ao cargo. Ou seja, não é permitido trabalhar em dois locais.

Os candidatos tiveram 30 dias para fazer campanha e mobilizar o eleitorado em torno das candidaturas.

Confira os nomes que disputaram as eleições em Presidente Venceslau.

Cinthya Goes Pereira
Cristiane Maria Jorge Assad
Eduarda Alves
Francielle Moreira Costa
Gelson Rigobello
Giane Rodrigues da Costa Souza
Jacqueline de Souza Lima
Janaina Bareia de Almeida Tedesque
Karen Cristina Viana Colombo
Lara Mariana de Moura Nunes
Lais Alexandrina dos Santos
Paula Massuda Nicolai
Rafaela Barbosa Collete Piai
Roberta Balhestero Gomes dos Santos
Roseni Aparecida Batista de Oliveira
Sabrina Jorge Bispo
Vera Alice Dias Maekawa

Requisitos
Conforme a resolução publicada pela Prefeitura Municipal de Presidente Venceslau, os candidatos aptos devem ter reconhecida idoneidade moral, ter idade superior a 21 anos, residir na cidade há mais de três anos; ter concluído curso superior nas áreas de educação, saúde, serviço social ou ciências jurídicas e sociais e estar no gozo dos direitos políticos.

Além disso, os candidatos devem participar de curso preparatório sobre o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) com a obrigatoriedade de 100% de frequência; submeter-se a avaliação psicológica; submeter-se a uma prova de conhecimento sobre o ECA, lei de convivência familiar e comunitária, português e informática; não estar filiado a partidos políticos ou em exercício de atividades políticos partidários; e ter experiência de no mínimo três anos em trabalho com crianças e adolescentes. 

Mais Notícias