Sexo barulhento vira caso de polícia no interior de São Paulo

Um casal, acusado de fazer escândalo na hora das relações sexuais, virou caso de polícia, em Hortolândia (SP). Na última segunda-feira, um motorista de 33 anos, procurou a delegacia para prestar queixa contra os vizinhos, que estariam tirando o sono e a tranquilidade da família. Segundo o motorista, os vizinhos promovem gritaria durante a relação sexual e não deixam ninguém dormir. Para provar a atitude extrema, a família gravou áudios da barulheira. A mulher do motorista chegou a ir ao Fórum denunciar a situação. Até a Guarda Municipal (GM) foi acionada para ver a barulheira. O caso inusitado ocorre na Vila Real.

A situação começou há quatro meses, quando o motorista mudou para o bairro com a família. Na primeira noite que passaram na nova casa, na madrugada o casal e as filhas, de 12 e 14 anos, acordaram assustados com gemidos altos. Os gritos vararam a madrugada, sem que a família conseguisse dormir. “Pensei: são jovens e deve ser a primeira e única vez. Mas para nossa surpresa, não parou. Piorou. São todos os dias, sem horário. Nos finais de semana a situação piora, pois é quase o dia todo”, contou o motorista.

O casal não tem amizade com a família do motorista, já que também são novatos no bairro. Segundo a vítima, o casal deve ter aproximadamente 40 anos. As famílias compraram casas de meio terreno. Para amenizar a barulheira, o motorista levantou o muro até a altura da laje e cobriu com laje o corredor. Além disso, colocou porta de alumínio, mas, mesmo assim, segundo o motorista, o ruído dos gemidos do casal ultrapassa as barreiras.

“Não é normal. Já morei em apartamento e nunca vi algo assim. Falei com o homem para ver se paravam, mas ele disse que é a mulher. Falei: ‘cara, liga o som. Tenho duas filhas pequenas’. Ele até reduziu a altura dos gemidos, mas ela não. Achamos que ela faz por pirraça. Ela deve ter problemas”, disse o motorista que já pensou em até fazer “coisa pior”. “É algo que faz a gente perder a cabeça. É muito barulho. Ninguém acredita. Precisei gravar para provar a situação que estamos vivendo. Os próprios guardas também ouviram e acharam absurdo”, falou. 

Mais Notícias