Bolsonaro tira Mandetta do Senac e ele perde R$ 21.000 por mês

O ministro da Economia, Paulo Guedes, dispensou o ex-ministro da Saúde, o sul-mato-grossense Luiz Henrique Mandetta, da função de representante do governo junto ao Conselho Fiscal do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). A portaria foi publicada na edição dessa segunda-feira (11) do Diário Oficial da União (DOU).

Com a saída do cargo, Mandetta perde também o salário de R$ 21 mil reais por mês. Esse valor, ele recebia mesmo tendo deixado o Ministério da Saúde.

No lugar de Mandetta, entra Tarcísio Gomes de Freitas, como representante do Ministério da Economia, na função de membro titular do conselho. A portaria entrou em vigor ontem mesmo.

Mandetta foi demitido do governo Bolsonaro, em plena pandemia de coronavírus, após dizer, em uma entrevista à TV Globo, que os brasileiros não sabiam a quem ouvir sobre as orientações acerca do enfrentamento ao novo vírus: se davam ouvidos a ele ou ao presidente.

Bolsonaro e seu então ministro da Saúde convergiram várias vezes sobre as políticas de isolamento para conter o avanço da pandemia. Enquanto Mandetta orientava a não aglomeração e o isolamento social, Bolsonaro incentivava a volta do comércio e chegou a participar em manifestações que, formando aglomerações, pediam o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

As informações são da Midia Max e Revista Veja. 

Mais Notícias