Idosa moradora de Indiana tem auxílio emergencial negado por estar falecida

Natalina Teresa Maldonado de Brito, 66 anos, moradora de Indiana, foi surpreendida com a notícia de que não seria beneficiária do auxílio emergencial do Governo Federal por estar “falecida”.

A dona de casa diz que há aproximadamente quatro anos, conquistou a aposentadoria por tempo de contribuição das atividades rurais que desempenhou quando mais nova, mas que o pagamento ocorreu por apenas um ano, sendo suspenso já há três anos. “Desde então estamos na Justiça lutando para conquistar meu benefício de novo. Alegam que não tenho tempo de contribuição suficiente, mas temos todos os documentos que comprovam o contrário”.

Por esse motivo, preenchendo todos os requisitos da medida emergencial, a idosa fez o cadastro para receber o benefício, já que não tem renda e não está mais aposentada.

“Eu faço minhas contribuições e vivemos apenas com a aposentadoria do meu marido. Então, imagina o quanto não é difícil para nós ver a notícia de que meu cadastro aponta para uma pessoa falecida, é um descaso”. “Me sinto constrangida, apenas queria poder ajudar em casa e melhorar nossa situação por alguns meses, mas não foi possível até o momento”. Natalina refez o cadastro para que uma nova resposta fosse emitida, mas a análise ainda segue em curso.

A apuração dos dados para ter o auxílio concedido compete ao DataPrev, que até o momento não se pronunciou sobre o erro.

Com informações do jornal O Imparcial.

Mais Notícias