Selic vai a 2% e é a menor taxa básica de juros da história do Brasil

O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) reduziu pela nona vez, nesta quarta-feira (5), a Selic de 2,25% para 2% ao ano. Essa é a menor taxa básica de juros da história do Brasil desde 1999, quando iniciou o controle da inflação no país.

Os cortes na Selic começaram em julho de 2019, quando ela estava em 6,5%. Apesar de parecer o último corte na taxa, o Copom não descarta a possibilidade de mais reduções.

“Devido a questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, deve ser pequeno. Consequentemente, eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal, assim como de novas informações que alterem a atual avaliação do Copom sobre a inflação prospectiva”, diz a nota emitida pelo Banco Central.

Se a taxa Selic diminui
O crédito fica mais acessível, já que os bancos tendem a baixar as taxas de juros;

A inflação tende a subir;

Os preços podem sofrer leve aumento.

Se a taxa Selic aumenta
Os preços tendem a baixar ou ficar estáveis, como uma consequência do controle da inflação;

Os juros de crédito, parcelamento e cheque especial ficam mais altos;

Os rendimentos de investimentos em Renda Fixa ou títulos públicos indexados à Selic aumentam.

Taxa Selic baixa para investimentos
Quando há uma redução da Selic, os títulos públicos indexados a ela e as aplicações em Renda Fixa passam a oferecer uma remuneração menor – existe uma queda no rendimento, em outras palavras. Poupança, títulos do Tesouro Direto, CDBs e outros investimentos em Renda Fixa atrelados à Selic ou ao CDI passam a pagar menos do que antes.

Taxa Selic baixa para a inflação
Considerando que o objetivo do governo, ao diminuir a Selic, é fazer mais dinheiro circular e aquecer a economia, podemos dizer que os preços de alimentos e da cesta básica de itens podem aumentar, mas não tanto.

Taxa Selic baixa para empréstimo
A Selic é a taxa de juros básica da economia brasileira. Isso significa que todos os bancos se baseiam nela para definir as taxas de juros cobradas por empréstimos. Logo, quando há uma queda na Selic, a tendência é de que os bancos e instituições financeiras acompanhem e diminuam as taxas de juros, tornando o crédito mais acessível para a população.

Mais Notícias