Conmebol deve adiar jogos da seleção nas eliminatórias da Copa por pandemia

A Conmebol deve aceitar o adiamento dos jogos das eliminatórias da Copa marcados para o final de março e início de abril por conta do agravamento da pandemia de coronavírus. Oficialmente, a entidade sul-americana ainda mantém sua posição de pedir à Fifa a liberação dos jogadores que atuam na Europa, o que a entidade não tem conseguido. Mas o cenário atual da pandemia é considerado praticamente inviável para realização dos jogos.

Houve uma reunião entre a confederação sul-americana e a Fifa nesta sexta-feira. Sem uma resolução, foi marcado novo encontro para sábado que envolverá os presidentes da Fifa, Gianni Infantino, e o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez.

Mas há empecilhos insanáveis para a realização dos jogos. O jornal "Libero", do Peru, publicou que a tendência é de adiamento dos jogos, informação confirmada pelo blog.

A Fifa não conseguiu liberar os jogadores de times de alguns países europeus que, pelas regras atuais, não são obrigados a ceder atletas durante a pandemia para países em zona vermelha. É o caso do Brasil. Liverpool e Manchester City já afirmaram que não vão liberar.

A maioria das federações sul-americanas não aceita atuar sem os jogadores da Europa. É o caso da CBF, por exemplo, que vê como um jogo oficial em que a seleção não pode usar nada que não seja a força máxima. Além da questão técnica, a falta das estrelas afeta o valor comercial dos jogos.

Em outro aspecto, há as restrições de viagem entre os países da América do Sul. Há uma restrição de viagem da Colômbia para voos do Brasil, onde a seleção atuaria no dia 26 de março. O ministro da Saúde colombiana, Fernando Ruiz, deixou claro que não haverá exceção para voo da seleção brasileira.

As federações nacionais insistiam na realização dos jogos por questões econômicas, mas já há um aceitação de que não será possível realiza-los. Como alternativa, aparecem duas opções: 1) utilização de datas de eliminatórias triplas em setembro 2) Uso de uma data da Copa América. A primeira opção parece bem mais provável.

As informações são do UOL.

Mais Notícias