Deputado Alexandre Frota pede CPI para investigar veracidade de facada contra Bolsonaro

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) anunciou pelo Twitter que irá protocolar pedido de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a facada que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) levou em 2018.

O atentado ocorreu na época em que Bolsonaro era candidato à presidência da República. Frota suspeita que tudo foi um plano para o militar reformado ganhar mais tempo de televisão perto das eleições.

"Estou convencido de que foi uma armação. Aproveitaram a doença que esse sujeito tinha na época e criaram essa narrativa do atentado. Ele foi de 8 segundos de TV para 24 horas de TV", disse o deputado.

No dia da facada, Bolsonaro foi levado de Minas Gerais para São Paulo, onde recebeu tratamento médico e passou por cirurgia. Segundo o mandatário federal, o ferimento provoca problemas de saúde até hoje.

Quando foi internado em julho, o presidente disse que estava, mais uma vez, tendo complicações "em função ainda da facada que eu recebi em 2018". Bolsonaro ficou no hospital para tratar uma obstrução intestinal e pode continuar se cuidando em casa.

O autor do atentado é Adélio Bispo de Oliveira. Em depoimento para a PF (Polícia Federal), ele chamou Bolsonaro de "impostor", e disse que tinha um "desejo pessoal" de matar o ex-presidente Michel Temer (MDB).

Adélio tem recebido tratamento psiquiátrico e "está calmo, diminuiu com as alucinações e apresenta uma mudança positiva de comportamento", segundo um funcionário da Penitenciária Federal de Campo Grande, onde Adélio se encontra preso.

As informações são do site UOL.

Mais Notícias