ESF não será instalada no Residencial da Faive

Por meio de ofício, a Secretaria Municipal de Saúde respondeu ao requerimento do vereador José Cícero de Oliveira Silva, que solicitou informações sobre a possibilidade de implantação de uma unidade de Estratégia Saúde da Família (ESF) no residencial Olga Rheingantz Elliz, conhecido como Residencial da Faive.

O documento assinado pela atual secretária municipal de saúde, Lianir Aguillar Ribeiro, esclareceu que o bairro necessita ter entre 600 e mil famílias para a implantação de uma unidade ESF, o que corresponde a um público de 2,4 mil a 4 mil pessoas. "Diante do exposto, o Residencial Olga Rheingantz Elliz não apresenta o número populacional suficiente para a solicitação de implantação de uma ESF", explicou o Poder Executivo.

O setor explicou ainda que, para viabilizar a implantação, é necessário ter autorização do Ministério da Saúde e a equipe deve ser composta por um médico, um enfermeiro, dois auxiliares de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde.

Durante sessão no final de agosto, o vereador havia apresentado o requerimento 454/2021 para solicitar a implantação de um ESF no bairro citado. Segundo ele, o local conta com "elevado índice populacional, com previsão de grande aumento, tendo em vista as inúmeras edificações em construção e a grande quantidade de terrenos", comentou.

Entre os argumentos usados pelo vereador no requerimento, ele também citou o fato do bairro ficar em área distante do centro da cidade.

Com informações do Jornal Integração.

Mais Notícias