Alimentos com açúcar são reduzidos em refeições da merenda escolar de Presidente Venceslau

A merenda escolar ofertada na Rede Municipal de Presidente Venceslau registrou alterações significativas em 2021. Alimentos ultraprocessados e bebidas com açúcar foram abolidos do cardápio das escolas, dando lugar a alimentos mais saudáveis como frutas e legumes.

A mudança implementada pela Prefeitura de Presidente Venceslau, por meio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec), segue resolução publicada pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) em 2020. A publicação previa impacto direto na alimentação de escolas em todo o país. “No ano passado, iniciamos esse processo de adaptação no cardápio escolar. Precisamos fazer mudanças na compra de alimentos que impactou até o processo de licitação, pois a nova resolução não permite a compra de inúmeros alimentos”, relata Aparecido de Melo, secretário municipal de educação.

Aparecido conta que, durante a tentativa de alteração do cardápio, houve uma polêmica causada pela redução drástica de açúcar, desde o leite servido nas refeições matinais até mesmo em outros alimentos preparados nos quais não se poderia adicionar açúcar. A polêmica foi atribuída ao período de adaptação. “Mudar o hábito alimentar exige um período de adaptação, por isso, reclamações foram registradas, principalmente a respeito do café da manhã, quando as crianças estranharam o gosto do leite e do chá com pouquíssimo açúcar. Como o paladar de muitas crianças está acostumado com alimentos e bebidas açucaradas, elas rejeitaram de início, mas agora já apresentam uma boa aceitação”, comentou.

O secretário explica que a adição de açúcar na alimentação de crianças entre zero e dois anos ficou terminantemente proibida. “Para substituir o açúcar e alimentos ultraprocessados, introduzimos no cardápio mais porções de frutas, tanto na Educação Infantil quanto nas escolas de Ensino Fundamental. Até mesmo os adultos matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA) aprovaram a mudança no cardápio e, neste ano, têm consumido frutas com mais frequência”, frisou.

O cardápio da rede municipal foi totalmente montado por uma nutricionista. Para a produção dos alimentos, a coordenação das merendeiras é feita pela cozinheira Rita de Cássia Mendes Nunes, que ocupa o cargo de chefia no setor de merenda. "Ela é bem capacitada e vem seguindo todas as orientações da nutricionista", reforçou o secretário.

A alteração no setor de merenda possibilitou uma melhora no diálogo com as profissionais que atuam na produção das refeições nas escolas municipais, conforme Aparecido. “Anteriormente, a chefe do setor não era merendeira. O que nós percebemos? Existem algumas demandas que vão além do conhecimento técnico do nutricionista. Os anseios e necessidades da profissão são compreendidos melhor por uma funcionária que também é merendeira. Nesse sentido, a escolha de uma merendeira para chefiar a equipe permitiu que o diálogo entre as profissionais fosse mais eficiente e direto”, pontuou.

Cardápio De acordo com a Semec, todas as escolas do município recebem seu cardápio de acordo com o tipo de ensino. Na creche são ofertadas quatro refeições ao dia, no regular são ofertadas três refeições ao dia (almoço) e no integral também são ofertadas três refeições, sendo dois lanches e um almoço. "Tudo é feito com muito capricho para as nossas crianças, com o objetivo de evitar a obesidade infantil e problemas de saúde futuros", disse Rita de Cássia em vídeo publicado nas redes sociais da Prefeitura em setembro de 2021.

Por conta da rigidez das mudanças, o município tornou o ano de 2021 como um período de transição para adaptar os alunos a uma nova realidade, fazendo com que neste ano a resolução do FNDE pudesse ser seguida à risca em todas as escolas municipais. “Nas creches, foi proibido o uso de açúcar em qualquer preparação. Crianças menores de três anos não podem receber açúcar em seu alimento, seja em sucos, chás ou outros. A compra de farinha láctea também foi proibida pelo governo federal, então municípios que fizerem essa compra vão ter que devolver a verba desse produto. Produtos ultraprocessados também foram proibidos para serem ofertados para crianças com três anos ou menos. Esses produtos possuem conservantes e aditivos em sua composição, é o caso de bolachas, sucos concentrados e margarina”, explanou a nutricionista Letícia Salmazzo durante vídeo publicado em setembro.

A merenda doce, antes ofertada uma vez durante a semana, agora passou a ser permitida apenas uma vez ao mês, sendo considerada preparação doce a de qualquer alimento que tenha adição de açúcar.

A Semec conta com a colaboração dos pais e responsáveis em relação aos produtos ofertados aos alunos em suas casas, dando preferência para a alimentação com frutas e legumes. “A criança tende a sentir bem menos essas mudanças quando ela chega na escola para se alimentar”, pontuou a nutricionista na época. “O maior intuito da resolução é manter e preservar a saúde das crianças”, finalizou.

As informações são da PMPV.

Mais Notícias