Procuradora é agredida por colega de trabalho em Registro, interior de SP

Uma procuradora foi agredida nesta segunda-feira (20) por um colega de trabalho dentro da Prefeitura de Registro, no interior de São Paulo, onde ambos atuam.

Em um vídeo que circula nas redes sociais, Demétrius Oliveira de Macedo aparece desferindo socos em Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, que se encontra jogada no chão. A gravação mostra ainda que uma segunda funcionária é empurrada contra uma porta ao tentar conter o homem. Na gravação, é possível ouvir Macedo usando palavras de baixo calão contra a procuradora.

A CNN teve acesso à íntegra do vídeo, mas decidiu não exibir por completo por conta da violência das imagens.

No boletim de ocorrência obtido pela CNN, Gabriela narra que, por volta das 16h50 da segunda, Macedo saiu de sua sala e veio em sua direção, desferindo uma cotovelada na região da cabeça e a arremessando contra a parede. O agressor seguiu com socos contra a colega, que caiu no chão.

Após uma série de agressões, uma servidora trancou a vítima em sua sala para protegê-la. No momento seguinte, dois trabalhadores chegaram ao local para conter o suspeito após ouvir os gritos de Gabriela.

Possível motivação

À Polícia Civil, a procuradora relatou que o suspeito estava, há alguns meses, tendo uma “atitude grosseira” com uma outra funcionária do setor, que procurou Gabriela para denunciar o comportamento “indevido” de Macedo.

“A declarante também observou que o mesmo, nos últimos meses, estava tendo um comportamento descortês, hostil, não conversava com ninguém e apenas se fechava na sua sala durante o horário do expediente”, diz a declaração.

Ainda de acordo com o boletim, Gabriela tentou conversar com Macedo, que respondeu de forma ríspida e a expulsou do local.

Diante dos acontecimentos, somados ao fato de outra funcionária ter dito estar com “medo de trabalhar”, a procuradora entrou com uma proposta de procedimento administrativo disciplinar contra Macedo. Na segunda-feira, uma publicação do Diário Oficial do Município informou que uma comissão havia sido formada para apurar os fatos.

“A declarante acredita que por este motivo Demetrius a agrediu”, finaliza a ocorrência.

Em nota enviada à CNN, a Polícia Civil informa que o caso foi registrado como lesão corporal e é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher de Registro. “A equipe da unidade já ouviu a vítima e o agressor e aguarda o resultado dos exames periciais para análises e elucidação dos fatos. Detalhes serão preservados para garantir a autonomia ao trabalho policial”, diz comunicado.

Suspeito é afastado

Em decorrência da divulgação do vídeo, a Prefeitura de Registro determinou que o agressor seja suspenso preventivamente por 30 dias. A decisão consta em edição do Diário Oficial do Município desta segunda-feira.

“Venho nesse momento manifestar aqui toda a minha indignação contra o ato execrável e abominável do procurador que agrediu fisicamente, de forma muito violenta, a procuradora que é chefe dessa área na Prefeitura. Todos que me conhecem sabem como eu sou totalmente contra toda forma de violência, seja ela física, moral ou simbólica. Então repudio veemente o fato ocorrido”, afirmou, em vídeo, o prefeito de Registro, Nilton Hirota.

OAB repudia atitude do procurador

“A 54ª Subseção da OAB – Registro, por sua Diretoria e pela Comissão da Mulher Advogada, vem a público REPUDIAR a inadmissível, covarde e grotesca agressão física praticada pelo Procurador Municipal de Registro DEMETRIUS OLIVEIRA DE MACEDO (inscrito na OAB/SP N° 305.997) contra a Procuradora Municipal de Registro GABRIELA SAMADELLO MONTEIRO DE BARROS (OAB/SP N° 304-314), fato ocorrido ontem nas dependências da Procuradoria Geral do Município. Ressalta que a agressão acima mencionada atingiu a toda a Advocacia e a toda a sociedade de uma forma geral, causando indignação permanente. A 54ª Subseção representará de ofício o Procurador Municipal agressor perante a Comissão de Ética e Disciplina, por conduta indigna com a Advocacia, bem como acompanhará o desenrolar do inquérito policial relativo a ocorrência. Prestamos, por fim, toda solidariedade e apoio à Procuradora Municipal e sua família.”

A CNN entrou em contato com o homem, mas ainda não obteve resposta.

As informações são da CNN.

Mais Notícias