Banda Dirimbó mescla ritmos latinos com nordestinos em show no Sesc Thermas

Salsa, merengue, afoxé, maracatu, carimbó do Pará, frevo de recife. Tudo junto e misturado. Foi seguindo essa receita que surgiu a Dirimbó, banda pernambucana que sobe ao palco do Sesc Thermas de Presidente Prudente  neste sábado (7), a partir das 16h, pelo projeto Múltiplos Sons. A entrada é gratuita.

Natural de Recife (PE), o grupo é formado por jovens músicos que decidiram imergir de corpo e alma no universo dos ritmos amazônicos e nordestinos e alia a sonoridade latina com os ritmos do Pará, além de trazer uma pegada urbana e recifense.

Com três pernambucanos e um paraense, a Dirimbó passou por algumas mudanças na formação e hoje atua com o quarteto formado por Bruno Negromonte (bateria), Mário Zappa (baixo), Rafa Lira (vocais e guitarra) e Vitor Pequeno (guitarra).

A banda segue com uma turnê agitada do “Deixar tu Loks” (2017). No trabalho, o grupo se aventura em ritmos como merengue, lambada, calypso e carimbó, com os quais manteve uma relação de intensa pesquisa. O que seria apenas uma reunião para fazer um som, em 2013, rendeu dois EP’s e um futuro disco, que começa a ser preparado já este ano.

De situações como relacionamentos amorosos até o momento político atual, a inspiração surge para as composições feitas coletivamente. Em algumas canções, os músicos brincam com a forma como se dão as relações hoje em dia, como em “Selfie”, que faz parte do primeiro EP Dirimbó (2015), em que dizem “fiz um selfie, amor, mas você não curtiu, eu não sei mais o que faço com a foto do perfil”.

“Deixar Tu Loks” (2017) representa não só uma guinada na agenda da banda, mas uma fase de amadurecimento, com um aumento da bagagem cultural e estudos musicais dos integrantes.

Para as crianças
A programação do Sesc Thermas também contempla atividades para a criançada, no domingo. Às 15h, a Cia. O Que de Que, de São Paulo (SP), apresenta o espetáculo O Jardineiro da Lua. A peça retrata, por meio das técnicas do teatro de bonecos, um fato marcante na vida de seu Antonio, um velhinho que, desde os seis anos, é responsável por cuidar da lua.

Ele narra a aventura de quando se tornou jardineiro da Lua e o público descobre que a lua é cheia de flores luminosas, que precisam ser regadas por seu guardião do planeta Terra para manter sua luminosidade. A criançada viajará com o pequeno Toninho e seus amigos na descoberta de sua tarefa.

Criada em 2010 e dirigida por Rodrigo Andrade, a “O Que de Que” tem como elemento primordial a pesquisa de linguagem que investiga a relação entre o teatro, a música, a dança contemporânea e as formas animadas. Nesse “corpo cênico” investigado, as formas animadas potencializam as dramartugias. Os bonecos, sempre autorais e pesquisados a partir das dramaturgias, criam novos meios de relação entre os atores.

Em seguida, às 16h, a artesã Nina Graça, de Londrina (PR), ministra a oficina de Customização de Almofadas. As crianças utilizam colagem, costura e acessórios para dar nova vida ao objeto.

Mais Notícias