Oeste Paulista registra 30 casos de sífilis congênita em crianças

Nos primeiros quatro meses deste ano, foram registrados 30 casos de crianças infectadas com sífilis congênita no Oeste Paulista, doença transmitida da mãe para o bebê durante a gravidez. A previsão é de 90 casos até dezembro, de acordo com levantamento feito com base em pacientes avaliados no Hospital Estadual de Presidente Prudente, que atende 45 municípios do Estado de São Paulo.

O índice regional fica ainda mais alarmante se analisar o progresso da doença que consta na lista das negligenciadas pelo Ministério da Saúde. Entre 2000 e 2014, a média de infecção atingia quatro crianças por ano. Quantidade que se potencializou a partir de 2015, atingindo 54 casos; a partir daí, 2016 e 2017 somaram 89 casos.

Desta forma, a média que era anualmente de quatro passou a ser 48. “A sífilis é negligenciada tanto pelos agentes de saúde quanto pela população”, segundo o docente e pesquisador Dr. Luiz Euribel Prestes Carneiro. Ele ressalta a importância do acompanhamento às crianças feito pela pediatra Patrícia Rodrigues Naufal Spir.

A sífilis congênita é uma infecção grave que pode causar má-formação do feto, aborto ou até a morte do bebê. Essa preocupação visa identificar a doença durante o pré-natal, para melhor tratá-la.

As informações são do Portal Prudentino.

Mais Notícias