Venceslau registra em julho maior caso de tráfico de drogas do ano

Com 12 ocorrências registradas, julho foi o mês no qual o maior número de casos de tráfico ocorreu em 2018 até o momento, superando os 11 casos registrados em junho e em fevereiro no município de Presidente Venceslau. Os dados foram divulgados esta semana pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP) e integram as informações de produtividade policial.

Nos outros meses que tiveram os números divulgados, janeiro, abril e maio tiveram seis ocorrências cada, enquanto que em março oito casos foram contados.

Considerando os dados recentes, a cidade registrou ainda o maior número de flagrantes lavrados em 2018 no mês passado, com 22 casos. Até então, abril havia registrado o maior número, com 18 ocorrências, seguido pelos meses de junho, março e fevereiro (com 16 cada). Fecham a lista os meses de maio e janeiro, com 11 ocorrências em cada mês.

Julho também contabilizou o maior número de prisões efetuadas no ano até o momento, com 66 casos. Anteriormente, o recorde era de junho, com 61 prisões. O número era seguido de perto pelo contado em fevereiro: 59 casos. Janeiro, março, abril e maio tiveram 44, 48, 47 e 54 prisões, respectivamente.

No período, a cidade teve ainda o registro de duas armas de fogo apreendidas, uma apreensão de menor em flagrante, uma apreensão de menor por mandado, um veículo recuperado e 51 inquéritos instaurados.

Presidente Epitácio
O dado de maior destaque em julho no município de Presidente Epitácio, no que diz respeito à produtividade policial, é o número de prisões efetuadas. Com 41 prisões, julho ocupa a terceira posição neste quesito no ano, perdendo para março (43) e abril (79). Os meses de janeiro, fevereiro, maio e junho tiveram 34, 20, 27 e 31, respectivamente.

Os dados também apontaram que o município não teve nenhuma ocorrência de apreensão de entorpecentes ou porte ilegal de arma no período pesquisado, bem como nenhum menor infrator apreendido por mandado. Em relação aos apreendidos em flagrante, a cidade registrou apenas um caso, mesmo número de arma de fogo apreendida no mês anterior.

A cidade teve ainda três casos de porte de entorpecentes, nove ocorrências de tráfico de entorpecentes, 14 flagrantes lavrados, um veículo recuperado e 41 inquéritos policiais instaurados.

Caiuá
Apesar de ter tido poucos registros em julho, Caiuá teve o maior número de prisões efetuadas em 2018 no mês anterior, com sete casos. Até então, o maior número havia sido contado em maio (5). Conforme os dados, todos foram presos por mandado, formando também o maior número de ocorrências neste quesito até o momento.

Além dos dados citados, a cidade teve um total de três inquéritos instaurados no mês anterior, igualando o menor número de registros neste quesito, ocorrido em maio.

Piquerobi
O mês passado teve o registro da primeira ocorrência de porte de entorpecentes em Piquerobi. Em julho, a cidade também teve uma ocorrência de tráfico de entorpecentes, um flagrante lavrado, duas prisões efetuadas e dois inquéritos policiais instaurados.

Marabá Paulista
A exemplo de janeiro e março, julho teve um caso de tráfico de entorpecentes em Marabá Paulista. Além desta ocorrência, o município registrou ainda três inquéritos policiais instaurados no mês passado.

Santo Anastácio
Ao comparar os dados de julho com os de outros meses, o período não teve muito destaque em Santo Anastácio. Na oportunidade, um caso de porte de entorpecentes e um caso de tráfico foram contabilizados. Dois flagrantes foram lavrados, nove prisões foram efetuadas e oito inquéritos policiais foram instaurados.

A título de comparação, o mês que mais registrou prisões na cidade foi junho, com 21 ocorrências. No que diz respeito ao número de flagrantes lavrados, nove foi o número registrado em junho, sendo este o maior em 2018 até o momento. Junho também segue com o maior número de casos de tráfico, com cinco.

As informações são do jornal Integração.

Notícias Relacionadas