Suspeitos de participar da morte de Daniel se apresentam à polícia

David Willian Villeroy da Silva, de 18 anos, e Ygor King, de 19 anos, se apresentaram à Polícia Civil de São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, na manhã desta quinta-feira. Ambos são suspeitos de terem ajudado Edison Brittes, autor do crime, a torturar e matar o jogador Daniel.

Nesta quarta-feira, Eduardo Henrique da Silva, de 19 anos, outro suspeito, foi preso temporariamente, em Foz do Iguaçu, região oeste do Paraná. O mandado foi expedido pela 11ª Vara Criminal de São José dos Pinhais.

De acordo com as autoridades da cidade, os três suspeitos estavam envolvidos no crime e ajudaram Edison a torturar o jogador durante uma festa que aconteceu na casa da família Brittes no dia da morte do jogador.

Daniel foi encontrado morto no último dia 27 em uma plantação de pinos, em São José dos Pinhais.

Edison Brittes confirmou ter matado Daniel e voltou a alegar que agiu de forma passional. Segundo sua versão, sua esposa teria gritado por socorro e, quando chegou ao quarto, viu Daniel tentando estupra-la.. Porém, os gritos são negados por outras testemunhas do caso.

O autor confesso do crime chegou a afirmar que retirou Daniel com vida de dentro da casa, mas preferiu permanecer em silêncio quando questionado sobre as circunstâncias da morte do jogador.

Suspeito convidou Daniel para fazer sexo com sua esposa, diz testemunha
A morte de Daniel ganhou mais um capítulo na manhã desta quinta-feira. Uma testemunha afirmou que Edison Brittes, suspeito do assassinato, teria convidado o jogador para ter relações sexuais com sua esposa, Cristiana Brittes. O ato foi divulgado por um conhecido de Edison ao site Massa news e teria acontecido horas antes da tortura contra o meia.

- Ele disse que estava muito louco, que convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo. E depois que ele viu que realmente os dois estavam juntos na cama ele se revoltou e resolveu matar Daniel - disse a testemunha.

Edison ainda confidenciou a esse amigo que usou cocaína e drogas sintéticas antes de cometer o crime.

- A família tem direito de saber que Daniel não tentou estuprar ninguém, ele realmente foi inocente na história - concluiu.

Daniel foi encontrado morto no último dia 27 em uma plantação de pinos, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

O jogador pertencia ao São Paulo e estava emprestado para o São Bento (SP). Daniel surgiu nas categorias de base do Cruzeiro. Antes de se tornar profissional, reforçou o Botafogo em 2013, no qual teve espaço na equipe principal e se destacou no ano seguinte. Em dezembro de 2014, chegou a conversar com o Palmeiras, mas foi reprovado nos exames médicos e acabou contratado pelo São Paulo.

As informações são do site MSN Brasil.

Notícias Relacionadas