Gasolina cede 1% nas bombas, mas ritmo de queda ainda é lento

O preço da gasolina voltou a cair na última semana, seguindo das quedas sistemáticas do combustível nas refinarias. Segundo relatório divulgado nesta segunda-feira, 3, pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), o preço médio do litro da gasolina no país está em 4,505 reais, pouco mais de 1% abaixo do registrado na medição anterior – de 4,554 reais. Esta é a sexta baixa seguida.

A partir do dia 1º, a Petrobras passou a cobrar 1,5333 reais por litro de gasolina tipo A, 2,2% acima dos valores cobrados anteriormente. No entanto, o preço médio da gasolina praticado pela petroleira nas refinarias acumulou uma queda de 19,4% só em novembro. E o recuo não chegou com a mesma intensidade aos postos – os preços nas bombas caíram apenas 3,6% no último mês.

A ANP solicitou às principais distribuidoras de combustíveis esclarecimentos sobre repasses de preços. As sucessivas quedas refletem o tombo do petróleo no mercado internacional, um dos parâmetros utilizados pela petroleira em sua política de reajustes diários em vigor desde julho do ano passado.

Uma das justificativas eram o estoque de combustível nas refinarias e postos. Assim, a pequena alta praticada essa semana pela petroleira não deve se refletir em um aumento automático de preços nas bombas.

Como base de comparação, os preços atuais da gasolina superam aqueles registrados durante a greve dos caminhoneiros. À época, o litro chegou a custar, em média, 4,614 reais.

O maior valor para o combustível foi encontrado na região Norte, onde um posto vende o combustível por 6,290 por litro. A mínima, por outro lado, foi registrada no Sudeste, a 3,769 por litro. Na média, a região que se destaca pelos menores preços é o Sul. A ANP indica que o valor médio na região está em 4,418 reais por litro. No Norte, por outro lado, a média é de 4,618 reais por litro, e coloca a região como a mais cara do país.

Diesel e etanol
O diesel e o etanol também seguiram a tendência da gasolina e tiveram mais uma semana de queda. A média de preço do combustível produzido a partir da cana de açúcar foi de 2,869 reais, abaixo dos 2,908 da semana anterior. Assim, na média, um litro de etanol custa o equivalente a 61,8% de um litro de gasolina. Em abril, o etanol chegou a valer 3,055 reais por litro.

Estopim da crise dos caminhoneiros, o diesel está custando, em média, 3,640 reais por litro – abaixo do valor registrado na semana anterior, de 3,650 reais por litro. A máxima para o combustível foi registrada em maio, quando chegou a valer 3,828 reais por litro na média.

As informações são do site MSN Brasil.

Notícias Relacionadas