Universidade inaugura maior usina solar de geração distribuída do estado de SP e uma das maiores do Brasil

A Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) será autossustentável na geração de energia e ainda vai colaborar com o meio ambiente, utilizando-se de uma fonte limpa. Com 3,12 megawatts (MWp) de potência, trata-se de uma das maiores usinas solares fotovoltaicas do Brasil no modelo de geração distribuída autoconsumo – até 5 MW – e a maior do estado de São Paulo, segundo a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do governo paulista. O abastecimento será total no campus II, em Presidente Prudente, com a possibilidade de a geração excedente contemplar parte do campus I.

A área de instalação da usina solar fotovoltaica da Unoeste equivale a mais de 4 vezes o campo do maior estádio do país: o Maracanã. É mesmo impressionante ver todas as placas enfileiradas e que serão suficientes para abastecer, por exemplo, a 2,5 mil residências, se compararmos a uma cidade.

O engenheiro eletricista do Departamento de Obras (DPO) da universidade, Ednei Zaupa, explica que a energia solar é uma fonte de energia renovável e inesgotável. “Ao contrário dos combustíveis fósseis, o processo de geração a partir dela não emite gases poluentes nocivos à saúde e que contribuem para o aquecimento global”. Outro benefício, segundo ele, é que os painéis solares requerem áreas menos extensas do que as hidrelétricas, e suas centrais precisam de manutenção mínima. “Em países tropicais, como o Brasil, a energia solar é viável em praticamente todo o território”.

Outro ponto positivo é que a usina fotovoltaica gerará energia a custos bem baixos. “O nosso país já passou por apagões e esses fantasmas ainda continuam iminentes. Possuindo geração própria, o risco de ficar sem energia é reduzido”, completa Zaupa.

A energia solar fotovoltaica é a energia obtida através da conversão direta da luz do sol em eletricidade, isso ocorre através de um efeito chamado fotovoltaico que é o aparecimento de uma diferença de potencial nas extremidades de material semicondutor, produzida pela absorção da luz. A célula fotovoltaica é a unidade fundamental para esse processo.

O projeto na Unoeste envolveu as empresas Sices Solar e Sunevo, sendo visto como uma importante conquista para a universidade. O diretor geral da mantenedora da Unoeste, a Associação Prudentina de Educação e Cultura (Apec), Dr. Augusto Cesar de Oliveira Lima, lembra também que os projetos arquitetônicos dos novos campi de Jaú e Guarujá já preveem a energia solar.

Inauguração
A Usina Solar Fotovoltaica da Unoeste será oficialmente inaugurada em cerimônia no dia 11 de março, às 10h, no próprio local onde está instalada, no campus II, em Presidente Prudente (SP). É estimada uma economia média mensal de 80%.

Liderança Internacional
A Sices Brasil, responsável pela implantação da usina solar da Unoeste, programa a vinda de uma liderança internacional em energia solar para a inauguração no dia 11. Trata-se do visionário idealizador do Solar Business Club, Tomasz Slusarz. O Solar Business Club é um braço de negócios do Solar Future Today, plataforma global que conecta líderes, tem a chancela do professor Alan Heeger, Prêmio Nobel de Química (2000) e do professor Muhammad Yunus, Prêmio Nobel da Paz (2006) e une influenciadores para moldar e liderar a transição para um Mundo Mais Sustentável.  

As informações são de Mariana Tavares/ Assessoria de Imprensa Unoeste. 

Mais Notícias