Protocolado no Senado pedido para impeachment de Gilmar Mendes do STF

O advogado Modesto Carvalhosa protocolou no Senado Federal, às 11 horas da manhã desta quinta-feira, um pedido de impeachment do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal. O documento tem 150 páginas e anexos com outras 800 páginas.

Bacharel e doutor pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, Carvalhosa afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo, no dia 8 de março, que Mendes “não tem condição nenhuma de continuar” no Supremo. O documento é subscrito também pelo advogado Luís Carlos Crema e pelo desembargador aposentado do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Laércio Laurelli.

O pedido seria protocolado na semana passada. Carvalhosa relatou que a entrega foi adiada para que “novos fatos” fossem acrescentados. O advogado se referia a informações da Operação Lava Jato que apontam que o ex-ministro Aloysio Nunes Ferreira (Governo Temer/Relações Exteriores) “atuou junto” a Gilmar Mendes por “interesse próprio” e do ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, apontado como operador do PSDB.

Os dados foram repassados à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que arquivou a representação da força-tarefa de Curitiba.

Para a chefe do Ministério Público Federal, Aloysio Nunes demonstrou “ousadia” ao supostamente “tentar interceder em favor” do ex-diretor da Dersa junto ao ministro da Suprema Corte. No entanto, Raquel não viu provada “amizade íntima” entre Gilmar Mendes e o tucano.

As informações são da Revista Exame.

Mais Notícias