Câmara de Vereadores de Prudente instala sistema de energia solar e prevê economia de R$ 1,5 milhão

Na última terça-feira (9), a Câmara de Vereadores de Presidente Prudente iniciou a implantação de equipamentos fotovoltaicos para captação de energia solar ao prédio. A infraestrutura custou R$240 mil e deve ser compensada em 40 meses, visto que o local gasta uma média mensal de R$ 6 mil em energia. 

De acordo com o presidente da comissão gestora da Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P) da Casa de Leis prudentina, o servidor de carreira e engenheiro ambiental Danilo de Almeida Zagatti, o investimento deve proporcionar uma economia de R$ 1,5 milhão para o município.

"Se fizermos um cálculo cru, sem imaginar as variáveis de temporalidades que podem ocorrer, é isso que deve acontecer. A licitação obteve um valor bem abaixo dos orçamentos iniciais: R$ 240 mil. Como a Câmara gasta, hoje, em média R$ 6 mil por mês com energia, são 40 meses para cobrir o custo. Ou seja, pouco menos de quatro anos, mas, ainda assim, projetamos uma folga de oito meses", explica.

Dessa forma, Zagatti complementa e justifica o valor da economia. "As placas têm garantia de 25 anos. Se retirarmos o custo e elas mantiverem a eficiência ao longo da garantia, ainda gerarão uma economia de R$ 1,5 milhão aos cofres públicos", pondera o presidente da comissão gestora da A3P.

Cabe ressaltar que esta é mais uma das ações de economia e gestão eficiente da Casa de Leis prudentina, que implantará estas placas de captação de energia solar no Prédio "Dr. Pedro Furquim".

A ação foi uma iniciativa da Mesa Diretora do 1º Biênio da 17ª Legislatura, que implantou a A3P, continuada agora pela Mesa Diretora do 2º Biênio. Além de Zagatti, a comissão gestora da A3P também é formada pelos servidores de carreira Fernando Batoqui França e Lenon Fachiano Silva.

Mais Notícias