Em Prudente, caminhada no domingo marca luta contra o trabalho infantil

A Semana alusiva ao dia Mundial, Nacional e Municipal contra o Trabalho Infantil, que teve início neste domingo (09), tem prosseguimento nesta segunda-feira (10), com Audiência Pública com Entidades formadoras do Programa Aprendizagem. O evento ocorre no Senac de Presidente Prudente.

O símbolo da campanha é um cata-vento, uma alusão lúdica a um brinquedo muito usado pelas crianças e que representa a infância e o direito que a criança tem de brincar, de sonhar, de estudar e em hipótese alguma de trabalhar.

No domingo (9/6), a programação da semana foi aberta com a II Caminhada” Não leve na Brincadeira: Trabalho infantil é ilegal.” A largada foi por volta das 8h30, da Praça do Centenário e contou com a participação de várias autoridades, representantes de entidades, e da população em geral.

A mobilização é realizada pelo Governo de Presidente Prudente, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social em parceria com o FPETI - Fórum de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil de Presidente Prudente e região.

O prefeito Nelson Bugalho e a secretária de assistência social, Luzia Fabiana Sales Macedo, participaram da caminhada, como também o juiz especial da infância e adolescência Mouzart Luis Silva Brenes, a procuradora do trabalho, Renata Aparecida Crema Botasso, o juiz do trabalho da 1ª vara, Rogério José Perrud, o procurador do Ministério Público do Trabalho, Diego Sanches, e o presidente da câmara de vereadores, Demerson da Saúde. A vereadora Alba Lucena enviou representante.

Antes da caminhada houve um alerta para todos os participantes sobre a grave questão do trabalho infantil.

O governo de Presidente Prudente realiza um trabalho preventivo ao trabalho infantil por meio do monitoramento de situações que possam configurar esta situação. É realizado um trabalho preventivo tanto em escolas ou projetos sociais que atendem à população.

O prefeito Nelson Bugalho ressaltou o quanto é importante a prevenção e a necessidade de chamar a atenção para esta causa. “ É um problema que ainda persiste e temos uma importante missão de divulgar e levar esta consciência para a população”. Segundo o prefeito, muita gente não tem noção da gravidade e da ilegalidade e imoralidade que o trabalho infantil representa para a comunidade.

O juiz especial da infância e adolescência informou que a conscientização é necessária é que é preciso apoiar a luta contra o trabalho infantil, porque ele ainda existe em pleno século XXI. “ Segundo dados da OIT – Organização Internacional do Trabalho, no mundo são 153 milhões de vítimas do trabalho infantil. No Brasil, segundo dados do IBGE de 2016, temos 2 milhões e 700 mil crianças e adolescentes vitimas do trabalho infantil e aqui em Presidente Prudente, realizamos um mapeamento do trabalho infantil a partir de pesquisas realizadas em escolas estaduais e municipais. Foram identificadas situações que podem caracterizar o trabalho infantil e que agora estão sendo realizadas buscas ativas para identificar se há ou não esta realidade aqui”, afirmou.

A iniciativa é uma ação integrada entre o Ministério Público do Trabalho, a Gerência Regional do trabalho, vinculada ao Ministério da Economia, as secretaria estadual da educação, a Seduc- Secretaria Municipal de Educação, SAS- Secretaria Municipal de Assistência Social, CMDCA (Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, Conselhos Tutelar da Infância, OAB- Ordem dos Advogados do Brasil- subsecção Presidente Prudente.

Veja a programação completa

- 10/6- Audiência Pública com Entidades formadoras do Programa Aprendizagem

8h- Credenciamento

9h- Abertura

Local: Senac de Presidente Prudente

Avenida Manoel Goulart, 2881

- 12/06- Evento em todas as Escolas da Rede Pública de Presidente Prudente e Região

Tema: Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil 9h e 15h

- 15/06- Fórum de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil de Presidente Prudente e Região- FPETI- PPR

Na Praça

9h- Abertura

Local: Praça 9 de Julho

Ações de Saúde e Orientações à População

Fonte: Secretaria de Comunicação

Mais Notícias